Meditação Diária

Eu não posso, mas nós podemos

25 de março


“Saímos do isolamento da nossa adicção e encontramos uma irmandade de pessoas com o laço comum (…) Nossa fé, força e esperança vêm de pessoas partilhando a sua recuperação (…)”


Texto Básico, p. 108



  Não admitir qualquer fraqueza, esconder todos os defeitos, negar cada falha e continuar adiante eram só algumas das crenças que muitos de nós seguíamos. Negávamos que éramos impotentes perante nossa adicção e que nossas vidas tinham se tornado incontroláveis, apesar de todas as evidências em contrário. Muitos de nós não nos renderíamos sem ter certeza de que havia alguma coisa pela qual valesse a pena se render. Muitos de nós fizemos o Primeiro Passo somente quando tivemos provas de que os adictos conseguiam se recuperar em Narcóticos Anônimos.
  Em NA, encontramos outros que passaram pelas mesmas dificuldades, que têm as mesmas necessidades e que acharam ferramentas que funcionam para eles. Esses adictos estão dispostos a compartilhar essas ferramentas conosco e nos dar o apoio emocional de que precisamos para aprender a usá-las. Adictos em recuperação sabem como é importante a ajuda dos outros, porque eles mesmos têm recebido essa ajuda. Quando nos tornamos parte de Narcóticos Anônimos, nos unimos a uma sociedade de adictos iguais a nós, um grupo de pessoas que sabe que nos ajudamos mutuamente a nos recuperar.



Só por hoje: vou participar da corrente da recuperação e encontrar a experiência, a força e a esperança de que preciso na Irmandade de Narcóticos Anônimos.


Copyright (c) 2000 by Narcotics Anonymous World Service
Todos os direitos reservados - ISBN 978-1-55776-380-8 Portuguese (Brasil) 6/18